Notícias

Agendas

Cresol Confederação e Centrais filiadas participam de agendas em Brasília

Data Publicação: 25/03/2019

Plano Safra e fundo de aval coletivo para dívidas de agricultores foram os principais temas das atividades

Na última quinta-feira, 21, a Cresol Confederação e Centrais filiadas estiveram em Brasília/DF para agendas com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA e Ministério da Economia - ME.

A convite da Coordenação Geral de Financiamento à Agricultura Familiar, a comitiva de Dirigentes do Sistema Cresol participou do 43° Fórum do Crédito, Seguro e PGPAF, realizado na parte da manhã na sede do Mapa. A programação abordou a evolução das contratações do atual Pronaf e perspectivas para o Plano Safra 2019/2020.

Cledir Magri, Presidente da Cresol Confederação destaca que as negociações para garantia dos recursos para o próximo Plano Safra já estão acontecendo com parceiros como o BNDES, e que as expectativas para a agricultura familiar são boas.

A segunda agenda foi realizada no Ministério da Economia, desta vez para participar de debates referentes ao “fundo de aval coletivo”, iniciativa formulada com a Comissão de Endividamento Agrícola da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), para a implementação de um fundo garantidor e solidário de dívidas de agricultores.

Magri enfatiza que a Cresol foi lembrada de modo bastante positivo como uma das poucas instituições financeiras que operou com uma linha de crédito do BNDES, voltada a recomposição e renegociação de dívidas com maior prazo, possibilitando aos agricultores melhores condições para honrar seus compromissos.

“Estas agendas são sempre de grande valia, principalmente se tratando do enceramento do atual Plano Safra, somado a preocupação por parte da Confederação e Centrais filiadas quanto a falta de recursos para finalização o atual ano agrícola. Pois, conforme informações recebidas, no que diz respeito ao BNDES, deverá haver um remanejamento de valores que hoje estão na taxa pós-fixada para pré-fixada, mas a expectativa é que não seja o suficiente para o enceramento do ano agrícola. Por isso, o Sistema Cresol, juntamente com outras instituições estão fazendo alguns movimentos na busca de novos remanejamentos de recursos”, finaliza Magri.
 

Receba nossas novidades

Assine nossa Newsletter