Crédito pessoal: tudo o que você precisa saber antes de contratar


Crédito pessoal: tudo o que você precisa saber antes de contratar

Uma das opções disponíveis no mercado para quem precisa de dinheiro com rapidez é o crédito pessoal. Essa modalidade garante um respiro financeiro para o contratante, já que tem um acesso mais fácil do que outros produtos bancários e pode ser negociada com as instituições, o que proporciona condições melhores de pagamento.

Ficou interessado em contratar um empréstimo ou quer tirar as suas dúvidas sobre esse assunto? Neste guia, você terá todas as informações sobre o crédito pessoal, desde o seu conceito até as suas vantagens e o processo para conseguir a sua liberação. Continue a leitura!

1. O que é o crédito pessoal?

O crédito pessoal, também conhecido como empréstimo pessoal, é um dinheiro concedido por uma instituição financeira ou uma cooperativa, que tem como principal característica a liberdade para a sua utilização. Ou seja, não é preciso indicar qual será a sua aplicação, como ocorre no financiamento.

Dica: 5 vantagens de empréstimos de cooperativas em comparação com bancos

Em troca dessa concessão, a instituição cobra uma taxa de juros mensal, que varia conforme a política da empresa e a negociação com o contratante. Outros fatores podem influenciar nesse valor, como o total emprestado e a análise de crédito do cliente, o que gera um aumento no encargo para o resguardo da inadimplência.

2. Para que serve o crédito pessoal?

Como o próprio conceito indica, não há uma finalidade específica para o crédito pessoal. Dessa forma, ele se transforma em uma opção para qualquer tipo de pessoa, principalmente aquelas que passam por problemas financeiros e as que desejam investir ou ampliar um negócio.

empréstimo pode ser solicitado, por exemplo, para cobrir os custos de uma viagem, como passagens aéreas e hotéis. Também é utilizado para pagar um curso de capacitação, o que pode ser enxergado como um investimento para melhorar o seu negócio ou conseguir uma promoção no trabalho.

3. Como funciona o crédito pessoal?

No crédito pessoal, a instituição financeira empresta o dinheiro para uma pessoa física, portadora de um documento de identidade válido em território nacional. Já que não é necessário informar a utilização desse valor, basta negociar diretamente as condições do contrato, como taxa de juros e número de parcelas.

Dica: Contratar crédito: o que é preciso e como escolher a melhor opção?

As condições de empréstimo variam em cada instituição financeira. Alguns clientes têm uma linha de crédito pré-aprovada, ou seja, que só precisa ser solicitada para ocorrer a liberação na conta. Por outro lado, essas instituições cobram taxas mais altas, o que geralmente diminui a sua atratividade.

4. Quem pode contratar o crédito pessoal?

A única obrigatoriedade é que o contratante seja maior de 18 anos, que tenha carteira de identidade e CPF válidos e que ele seja residente no Brasil. Algumas empresas costumam não oferecer o empréstimo para pessoas negativadas nos serviços de análise de crédito, como o SPC e o Serasa.

Um diferencial importante é que qualquer tipo de profissional pode solicitar um empréstimo pessoal — desde um trabalhador autônomo até aqueles empregados no poder público ou na iniciativa privada. Além disso, é possível encontrar instituições que não pedem garantias, como um imóvel ou um carro.

5. Quando contratar um empréstimo pessoal?

A principal característica do crédito pessoal é a sua facilidade e rapidez na negociação. Dessa forma, ele é indicado para situações emergenciais, quando é necessário investir um alto valor para quitar uma dívida ou solucionar um problema individual e não há dinheiro disponível para isso.

Por outro lado, ele pode ser utilizado para diminuir alguma dívida que tenha uma taxa de juros maior. É o caso do cheque especial e do cartão de crédito, que ultrapassam os 10% mensais e comprometem a renda familiar. Assim, há uma “troca” de dívida por uma com uma condição melhor de pagamento.

Dica: Como avaliar se uma taxa de juros é atrativa?

Porém, se o dinheiro for utilizado para investir em um bem parcelado, não é vantajoso pedir o empréstimo, já que a taxa de juros provavelmente será maior do que as mensalidades da empresa — grandes corporações oferecem o pagamento em diversas parcelas sem juros.

O crédito pessoal também é uma opção para empreendedores, apesar de haver outros tipos voltados para esse negócio, como o empréstimo para micro e pequenas empresas. Antes de tudo, é necessário realizar uma análise financeira do negócio, que permite conhecer melhor o seu momento e entender se há espaço para novos investimentos ou se há alguma necessidade de capital com urgência.

Clique no banner e conheça todas modalidades de empréstimos e financiamentos existentes para sua empresa!

Banner - Guia prático de financiamento para empresas

É comum que o empreendedor peça esse empréstimo para começar um negócio, que demanda um investimento inicial expressivo e, muitas vezes, deve ser pago em parcela única. Assim, as mensalidades com a taxa de juros são pagas com os seus lucros nos primeiros meses.

Nesse caso, é fundamental desenvolver um bom planejamento financeiro para a empresa, além de ter garantias de que conseguirá arcar com as parcelas mesmo em caso de resultados ruins. Os empréstimos variam entre 24 a 72 meses em média, ou seja, é possível que você mantenha essa obrigação durante alguns anos.

6. Quais as vantagens do crédito pessoal?

Uma das principais vantagens do crédito pessoal é a sua facilidade de aquisição. Como o seu objetivo é quitar dívidas — cartão de crédito e cheque especial, principalmente — ou realizar um investimento em uma microempresa, o contratante consegue pela internet ou direto na instituição o crédito de forma rápida e simples.

Por essa agilidade no processo, ele é muito indicado para quem precisa do dinheiro para uma emergência, como em caso de problemas de saúde ou de dívidas. Ele também pode ser utilizado para capacitação e estudo, que impactarão no seu trabalho diário.

É importante destacar que o empréstimo pessoal pode ser visto como um investimento. Por exemplo, esse mecanismo pode servir para realizar melhorias na propriedade rural, o que fará diferença no faturamento do negócio. Dessa forma, é mais vantajoso pagar a taxa de juros com um percentual desse lucro.

A maioria das instituições financeiras não cobram comprovante de renda e nem garantias para o pagamento. Além disso, não é necessário informar o motivo do empréstimo, o que o contrapõe ao financiamento, quando o motivo está explicitado no contrato — compra de um imóvel ou de um veículo, por exemplo.

Quer saber mais sobre como o crédito pessoal pode te ajudar? Clique no banner abaixo!

Banner - Cresol, ao seu lado para o que precisar

Outra vantagem é que muitas instituições aceitam conceder o crédito para negativados. Apesar disso, é comum que a taxa de juros seja maior, como uma forma de proteção da empresa em caso de inadimplência. Essa opção não é oferecida pelos grandes bancos e deve ser utilizada somente em último caso.

O crédito pessoal tem diferenças importantes para o crédito consignado no que diz respeito ao público-alvo e a forma de pagamento. No segundo modelo, os solicitantes são pensionistas, funcionários públicos ou de empresas privadas e aposentados, e o pagamento das parcelas é descontado diretamente na sua folha de pagamento.

Por outro lado, para conseguir um crédito pessoal, é necessário ter apenas uma conta em uma instituição financeira, seja ela uma conta-corrente ou conta-salário ou um cartão de crédito. Assim, as parcelas serão pagas mensalmente com a taxa combinada, sem descontos automáticos ou pagamentos retidos na fonte.

Veja a seguir um compilado das principais vantagens dessa modalidade.

Emergências

Precisa pagar um valor que não tem disponível em poucos dias? Nesse caso, o crédito pessoal é a opção mais indicada, por conta da sua facilidade. Com poucos documentos e, muitas vezes, sem análise de crédito, o cliente recebe o dinheiro integralmente e pode negociar as condições de pagamento.

Dica: 5 dicas para pagar o 13º salário dos funcionários em dia

Devido à crise financeira, muitas pessoas não conseguem manter uma reserva de emergência, que é utilizada justamente para cobrir essas situações. Assim, recorrer a um empréstimo torna-se a única opção viável para arcar com os compromissos e não se endividar.

Utilização para qualquer finalidade

Como não é necessário informar à instituição o motivo do empréstimo, o cliente pode alocá-lo em qualquer fim — inclusive em mais de um. Isso significa que não há um controle sobre a utilização do dinheiro, como nos financiamentos, em que a aquisição do bem está condicionada ao pagamento das parcelas.

Assim, esse empréstimo pode servir para a realização de um sonho, como uma viagem, ou mesmo para um curso ou uma faculdade. Nesse caso, ele deve ser visto com um investimento de longo prazo, porém com um pagamento realizado em poucos anos.

Criação de um novo negócio

Você tem uma ideia de negócio para pôr em prática ou quer investir em algo já existente? O crédito pessoal é uma ótima alternativa pelas suas taxas atrativas e pela possibilidade de não apresentar garantias em alguns casos. Com o recebimento rápido do dinheiro, todo esse processo é otimizado e o empreendedor pode privilegiar o seu tempo na própria empresa.

Dica: Saiba como administrar bem o capital de giro da sua empresa

Também é possível investir em um negócio já existente, em que há a necessidade de alocar mais recursos ou há a chance de crescimento. Nesse caso, os juros são pagos com as receitas da própria empresa, o que permite ao empreendedor não comprometer as suas finanças pessoais.

Quitar ou diminuir as dívidas

Em comparação com as taxas do rotativo do cartão de crédito e os juros do cheque especial, o crédito pessoal é uma opção mais vantajosa. Enquanto que os primeiros têm, em média, entre 12% e 15% ao mês, é possível encontrar taxas menores do que 3% no mercado com os empréstimos.

Dessa forma, o cliente endividado pode “trocar” a dívida e pagá-la com um empréstimo, o que diminuiria a parcela mensal. Esse mecanismo é recomendado para “desafogar” as finanças pessoais, mas é necessário um planejamento correto para não se endividar novamente com as novas mensalidades.

Feito pela internet

Outra possibilidade interessante é realizar o pedido de empréstimo pela internet. Já existem instituições financeiras que são completamente online, as chamadas fintechs, que oferecem esses produtos com burocracia menor. Porém, é importante analisar se a empresa tem experiência no mercado e pode oferecer taxas competitivas.

As cooperativas também atuam na internet, onde é possível fazer a solicitação do empréstimo. Para quem deseja tirar as dúvidas e negociar pessoalmente, há diversos postos de atendimento espalhados pelo país que garantem soluções e inclusão social para os agricultores e microempreendedores/pequenos empresários.

7. Como se planejar para pegar um empréstimo pessoal?

Ainda que seja uma solução de fácil acesso, o crédito pessoal deve ter um planejamento financeiro correto, já que o seu objetivo é se livrar das dívidas e não contrair novas. Portanto, é importante se atentar para alguns pontos antes de contratá-lo. Confira alguns abaixo!

Definição da finalidade

O empréstimo pessoal não obriga o contratante a explicar a sua finalidade para a instituição financeira, mas é preciso que você tenha isso definido na sua cabeça. O motivo é simples: é impossível saber o quanto você necessita de dinheiro se não tiver um objetivo programado.

Se o empréstimo é para aumentar a produção da sua propriedade rural, projete quais são as melhorias que deseja implementar e o quanto isso custará. Com essa conta feita, você poderá avançar no planejamento do empréstimo sem pedir um dinheiro desnecessário.

Cálculo do total necessário

Você sabe exatamente o quanto precisa de crédito para alcançar o seu objetivo? Durante a sua pesquisa, as instituições financeiras podem oferecer empréstimos mais altos do que o necessário, o que aumenta os juros da transação. Portanto, é muito importante negociar o valor exato para diminuir os custos.

Dica: Planejamento financeiro empresarial: 6 dicas para montar o seu

Como o empréstimo é pago mensalmente, deve-se entender que uma parte da sua renda será comprometida para esse pagamento. Ou seja, na hora de fechar a conta é preciso ponderar se há condições de arcar com esse acréscimo nos gastos ou se será preciso solicitar um valor total maior.

Cálculo das parcelas mensais

Depois de definir o valor total do empréstimo, o próximo passo é calcular o quanto você pode pagar por mês. Isso impactará diretamente no número das parcelas, já que um valor menor indica mais meses de pagamento e, assim, uma maior incidência da taxa de juros.

O mais recomendado é pagar o maior valor possível por mês, o que reduz o número de meses de empréstimo. Porém, vale frisar que esse dinheiro não pode ser um motivo para gerar mais dívidas, o que faria o empréstimo não valer a pena.

8. O que é necessário para conseguir crédito pessoal?

Não existe uma lista obrigatória de documentos que devem ser apresentados para a instituição na hora de solicitar um crédito pessoal. Porém, a carteira de identidade (RG) e o Cadastro de Pessoa Física (CPF) são unanimidades, principalmente para a comprovação das informações.

Algumas financeiras pedem o cartão de CPF no ato do pedido, porém é comum que aceitem o número que consta no RG ou na carteira de motorista (CNH). Além disso, também é possível que outros documentos oficiais com foto possam ser utilizados, como o passaporte, as carteiras dos órgãos e a carteira de trabalho.

Tem os documentos citados à mãos? Entre em contato conosco para pedir seu crédito pessoal!

Banner - Cresol, ao seu lado para o que precisar

Outros documentos que são pedidos em algumas instituições são o comprovante de residência e o de renda. Porém, diversas financeiras não pedem esse último para realizar o empréstimo pessoal, o que é um mecanismo importante para quem precisa do dinheiro, mas não tem como garantir oficialmente o pagamento.

Confira uma lista dos documentos que são importantes para solicitar o crédito pessoal, mesmo que nem todos sejam obrigatórios:

  • carteira de identidade (RG);
  • Cadastro de Pessoa Física (CPF);
  • comprovante de residência (nem sempre é obrigatório);
  • comprovante de renda (nem sempre é obrigatório).

9. Quais as taxas e custos de um empréstimo pessoal?

A taxa de juros mensal que os grandes bancos praticam varia entre 4% e 6%. O seu diferencial é a facilidade com que uma pessoa consegue fazer a solicitação, já que é comum que ela tenha uma conta aberta na instituição e não queira passar pela burocracia de trocar de lugar.

Porém, muitas vezes, os bancos oferecem mais crédito que o necessário. Por isso, é fundamental calcular exatamente o valor do empréstimo e o quanto você pode pagar todo mês, já que o crédito pessoal deve ser uma solução financeira e não mais um problema ou dívida para o futuro.

Dica: Crédito para comprar carro: saiba como funciona e como contratá-lo

Existem instituições que oferecem o empréstimo online, geralmente, com taxas menores. Porém, é preciso analisar se elas pedem comprovação de renda e quais são as condições de pagamento. Pelo tamanho desses bancos menores, os valores concedidos são menores.

Pelo foco na democratização do acesso ao crédito, os empréstimos de cooperativas são indicados por conta das condições melhores. É possível encontrar taxas de juros até 50% menores do que nas instituições financeiras tradicionais, com um processo parecido de admissão — a diferença é que a pessoa se torna cooperada.

10. Como escolher a melhor instituição financeira para contratar o crédito pessoal?

A dica mais importante na hora de escolher a empresa para pedir o empréstimo pessoal é pesquisar as condições em diversos lugares. É comum que, por praticidade, os bancos maiores sejam escolhidos, já que as pessoas têm conta aberta no local. Porém, isso impede de conseguir taxas melhores, que fazem a diferença no total pago no final.

Apesar disso, é preciso tomar cuidado, principalmente na internet. São diversos os anúncios de empresas que oferecem créditos sem garantias e comprovação de renda, mas que não tem reputação no mercado. Sendo assim, verificar a experiência é fundamental para não cair em golpes e não receber o dinheiro.

Confira alguns quesitos importantes na hora de escolher a instituição financeira para contratar o crédito pessoal!

Taxa de juros

A taxa de juros é a contrapartida do banco, fintech ou cooperativa para emprestar o dinheiro à vista. Como existem dezenas de opções no mercado, é natural que haja valores diferentes, que variam desde 1% até 30% ou mais por mês. Por isso, o cliente deve procurar um lugar que ofereça condições competitivas.

A taxa de juros impacta diretamente no Custo Efetivo Total (CET), ou seja, qual o valor final que a pessoa precisa pagar para encerrar o seu compromisso com a instituição. Assim, quanto menor for essa taxa, menos é necessário desembolsar para arcar com as parcelas.

Custos adicionais e a burocracia

Além da taxa de juros, há também a cobrança do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide sobre o valor total do prêmio, o que não considera a taxa de juros. O IOF dessas transações é de 0,38% mais uma alíquota diária, que é limitada a 3% ao ano (0,0082% ao dia).

Anteriormente, as cooperativas não tinham essa taxa anual de 3%, mas ela passou a ser cobrada por lei a partir de 2017. Apesar disso, por conta das taxas atrativas, elas se mantêm como uma ótima opção de empréstimos mais baratos para a pessoa física e o microempreendedor.

Reputação da empresa

A concessão do crédito pessoal é rápida, mas isso não significa que você pode escolher qualquer instituição para realizar o empréstimo. Assim como em qualquer outro serviço, é fundamental que a empresa tenha experiência no mercado e seja capaz de oferecer vantagens para os seus clientes, como é o caso da Cresol.

Na internet, deve-se tomar cuidado com anúncios de taxas muito baixas, que fogem do praticado pela concorrência. Além da possibilidade de golpe, essas empresas podem criar dificuldades para você quitar a dívida, como impedir o pagamento antecipado do empréstimo para diminuir os juros.

Por ser um produto financeiro com maior liberdade, o crédito pessoal é uma ótima opção para quem precisa de dinheiro para quitar dívidas ou investir em um negócio. Cabe ao contratante procurar a melhor empresa para realizar o empréstimo e negociar as taxas, de uma forma que o CET seja o menor possível. O seu bolso agradece!

Agora que você já conhece a importância do crédito pessoal, clique no banner e entre em contato com quem tem mais de 20 anos de experiência no mercado! 

Banner - Cresol, ao seu lado para o que precisar




Por
08/11/2018

Nossa missão é promover a inclusão social através do acesso ao crédito! São mais de 200 mil famílias cooperadas em 10 estados brasileiros, e nos orgulhamos por ser o maior sistema de cooperativas de crédito rural solidário do Brasil.


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!